Vida amorosa

Vida amorosa

Vida amorosa – Primeiro Amor.

Como falar de amor ou vida amorosa antes de falar do nosso primeiro amor?

Para escrever este texto, antes de tudo, foi necessário me olhar no espelho e me perguntar: onde mora o meu amor incondicional? Se a resposta tivesse sido num local diferente do meu íntimo, eu não poderia falar de vida amorosa.

“Para encontrar um amor fora de mim, foi preciso me encontrar primeiro, me amar primeiro.”

Como ser capaz de amar alguém verdadeiramente, sendo incapaz de amar a si próprio?

Comecei, então, a resgatar na memória tudo aquilo que fiz por amor a mim mesma. Todas as vezes que procurei me fazer sorrir, me trazer a felicidade, me divertir, cuidar de mim mesma.

Pode parecer clichê, mas antes de iniciarmos qualquer relação, precisamos entender que somos funcionários da nossa Felicidade, e não podemos delegar essa função a ninguém.

Cabe exclusivamente à você a obrigação de te fazer feliz, outras pessoas só irão agregar mais felicidade e outros sentimentos.

Enquanto eu PRECISAVA de alguém para ser feliz, nunca fui de fato. Quando passei a ser feliz comigo mesma, as pessoas ao redor me queriam por perto, me desejavam ali, o tempo todo, e foi então que eu entendi que DEPENDÊNCIA não é AMOR.

Se você for capaz de entender o que eu disse agora, passará a ser feliz de verdade, e o amor ou a vida amorosa irá fluir naturalmente, não por necessidade, mas porque o seu amor por si mesma atrai mais pessoas do que você possa imaginar.

Vou te dar um exemplo de duas pessoas: “A” precisa de um amor para ser feliz. “B” precisa ser feliz para ser o amor de alguém.

“A” não é feliz ainda, mas acredita muito que o que falta para que a felicidade aconteça, é um verdadeiro amor.

“B” é plenamente feliz, gosta da própria cia, ama a vida e tudo o que há nela.

Quem é mais interessante? “A” ou “B”?

O mesmo aconteceu comigo, quando conheci o Fábio (Meu marido).

Fábio me conheceu pelo Facebook, olhou o meu perfil, viu todas as minhas postagens, viu meus vídeos, viu minhas fotos e pensou: “Que mulher incrível, que mulher mais bem resolvida” e foi o que o conquistou, o meu simples e mais maravilhoso amor pela minha própria vida.

Eu sempre busquei ser feliz de um jeitinho ou de outro, o que todos faziam eu também fazia, do meu jeito, meio adaptado, mas eu fazia. E foi fazendo de tudo, que descobri o quanto eu me amava, o quanto eu lutava por minha felicidade. Eu viajei, badalei, sorri, chorei, me apaixonei, cansei, casei, e hoje minha felicidade, que não cabe em mim, eu divido com o Fábio.

Não estou dizendo que você irá se levantar do sofá agora e ir correndo comprar passagens para Paris, mas pode começar até mesmo com o auto cuidado, quando foi a última vez que fez algo por você?

Pense nisso, faça isso, e depois POR FAVOR me conte como foi amar a pessoa mais incrível deste mundo:  VOCÊ!

Um grande beijo e aguardo seu depoimento. 😉

Deixe uma resposta

Precisa de ajuda ? Escreva aqui.
Enviar